Revista velocità 1

of 6/6
velocità ALTA M apa completo de todos os circuitos da temporada 2015. MAGAZINE Drift E ai, tem CORAGEM ? QUEM É ÍDOLO VIVE PARA SEMPRE MAIO / 2015 R$: 25,00
  • date post

    22-Jul-2016
  • Category

    Documents

  • view

    216
  • download

    0

Embed Size (px)

description

revista teste para aprimorar criação em indesign

Transcript of Revista velocità 1

  • velocitALTA

    Mapa completo de todos os circuitos da temporada 2015.

    MAGAZINE

    DriftE ai, tem CORAGEM ?

    QUEM DOLOVIVE PARA SEMPRE

    MAIO / 2015 R$: 25,00

  • 2 21 ANOS SEM

    AYRTON SENNA

    ESPECIAL

    Idolatrado, o piloto ti-nha um objetivo traado: se superar sempre. Sabia que para isso enfrentava o maior risco, a morte. E ela veio na Curva Tamburello

    O Brasil teve trs campees mundiais de Frmula 1. Todos foram heris nacionais, mas nenhum conquis-tou tamanha idolatria quanto Ayrton Senna. Estrate-gistas frios, Emerson Fittipaldi e Nelson Piquet no se incomodavam em chegar em segundo, terceiro ou quarto lugar porque sabiam que a regularidade era o mais importante para vencer um campeonato. Senna era diferente queria ser sempre o primeiro, correr sempre na frente, quebrar todos os recordes. Mas tudo terminou na batida na curva Tamburello, em Imo-la, dia 1 de maio de 1994, a bordo da Williams a mais de 300 km/hora.Nascido em So Paulo, em 21 de maro de 1960, Sen-na comeou sua carreira na F-1 em 1984, pela Tole-man, uma equipe inexpressiva. No ano seguinte, j na Lotus, ele conquistaria sua primeira vitria em um Grande Prmio. Em 1988, transferiu-se para a McLa-ren, equipe com a qual foi campeo naquele mesmo ano. Combinando tcnica e audcia, o piloto acelerou na chuva e chegou ao seu primeiro ttulo. Com apenas cinco anos de F-1, Senna mostrou ao mundo que em situaes adversas e arriscadas seu talento transbor-dava. Ele era um cara compe-

    titivo, mas muito humano ao mesmo tempo. Era sempre muito esporte, muita brinca-deira, muita maldade como colocar pimenta na comida dos outros.

    Conforme colecionava vitrias nas pistas, a vida pes-soal de Senna comeava a chamar ateno. Apesar da curiosidade, Senna sempre cuidou de revestir a vida e a carreira de muita publicidade, mas sempre uma publicidade que ele mantinha sob estrito controle. O temperamento difcil tambm passava ser conhecido. Ao longo dos anos, acumulou desafetos, como o rival Nelson Piquet acusado de espalhar o boato de que Senna era homossexual. Nas pistas, obsesso. Ele tra-balha 24 horas por dia. Alain Prost s perde para ele porque trabalha 17 e dorme outras 7, resumiu um jor-nalista portugus.Alm do primeiro campeonato, outros dois vieram - em 1990 e 1991. Senna queria mais, sempre mais. No apenas vitrias conquistou 41 mas algo muito maior: a incessante superao do prprio limite. Mas sabia que para voar em direo ao infinito precisava assumir um risco. E esse risco se chamava morte. Em 1 de maio de 1994, na stima volta do GP de San Ma-rino, na Itlia, Senna passou direto pela curva Tambu-rello, a 300 quilmetros por hora, e chocou-se contra o muro de concreto. Pouco depois, o tricampeo mun-dial foi declarado morto. Naquele momento, ningum simbolizava melhor a comoo que tomou conta do mundo do que a imagem de Prost chorando em um dos boxes de mola.A notcia do acidente de Ayrton Senna deixou o Brasil pasmo. Mesmo os que ainda no haviam se levantado, ou no acompanhavam a transmisso do GP, logo sou-beram o que se passava. Aos poucos uma corrente de emoo e dor tomou conta do pas.

  • 3Toda a emoo dentro docockpit, em manobras super radicais.

    Drift, E ai, tem coragem?O Piloto de Rally Ken Block famoso por seus vdeos eston-teantes de manobras, intitulados de Gymkhana. A bordo de seu Ford Fiesta, Block d um verdadei-ro show de pilotagem, com derra-pagens extremamente controladas em espaos apertadssimos tem noo de sobra! Para ajudar e ala-vancar ainda mais a divulgao do Jogo Dirt 3, ele re-solveu gravar um novo vdeo. Neste com seu antigo companheiro, um Ford Focus insano, rola (como de cos-tume) um verda-deiro show de ma-nobras! O cenrio de filmagem, tam-bm um show a parte, uma usina termoeltrica desativada em Bat-tersea, bairro de LondresPilotar um carro de drift mais dif-cil do que parece. Fomos para a pis-ta com um Nissan turbo e voltamos sem para-choque, pneus, combus-tvel Aps uma hora na pista, con-tinuamos sem saber driftar.

    quem nunca fez no sabe o que est perdendo

    Drift no limiteShow de pilotagem ou meramen-te sorte Muita sorte! Os pilotos que competem no D1 Grand Prix, um dos maiores campeonatos de Drift, j esto acostumados a andar de lado, tirando finas de muros e carros de seus oponentes. No en-tanto, a pista molhada e um leve descuido provou que nem mesmo

    os destemidos pi-lotos contavam com este pequeno susto! A plateia, claro, foi ao del-rio!As cenas impres-sionantes que voc confere no link abaixo foram filmadas no Bra-sil, em um evento promocional da

    Reb Bull, patrocinadora do piloto e dubl de cenas de ao Rhys Mil-len. O neozelands desembarcou com seu Hyundai Genesis de 760 cavalos em Santa Catarina, onde fica a belssima Serra do Rio do Ras-tro. o cenrio perfeito para uma apresentao de drift: 9,4 km de extenso e nada menos que 156 curvas.

  • 4Frmula 1Para 2015, a revista Alta Velocit elaborou um ranking para

    apontar quais competidores tem as melhores chances.A Frmula 1 um mundo complexo, onde muitos fatores precisam ser levados em conta. Por isso, sempre um desafio traar um panorama preciso das chances de pilotos e equipes para cada temporada.

    Para isso, levamos em considerao seis fatores:CARRO peso 3Nesse item avaliado o potencial do blido de 2015 de cada equipe, levan-do-se principalmente em considerao o motor e a aerodinmica

    EQUIPE peso 1Neste item levado em conta a infraestrutura da equipe, o investimento, a qualidade do corpo tcnico bem como o bom trabalho nas corridas (estrat-gia e pit stops)

    TCNICA peso 2No adianta ter um timo carro se o piloto no for bom o suficiente. Na F-1, a par-te humana ainda crucial. Pilotos fora de srie sempre sedestacaro dos demais

    EXPERINCIA peso 1Idade, maturidade e tempo de carreira sempre ajudam um piloto em um esporte de tanta presso, onde preciso tomar decises a 300km/h

    MOMENTOS peso 1O fator psicolgico tambm pesa. Um piloto com confiana e moral alta sempre tende a ren-der mais, a ousar mais em uma corrida

    ESTRELA peso 1Ao analisar o histrico de cada piloto, podemos ver quem tem a chamada "estrela" que o faz estar no lugar certo, na hora certa

  • 5Felipe Nasr relembra batismo de fogo na F-1: 'No sabia se ia correr'A histria parece o roteiro de um drama de Hollywood. Depois de anos de luta, o jovem esportista tem a chance da vida. Mas uma ba-talha judicial ameaa colocar tudo por gua abaixo. Contudo, tudo acabou com final feliz.No caso de Felipe Nasr, esse final feliz foi o inesperado quinto lugar na corrida de estreia na Frmula 1, na Austrlia. H trs meses, o piloto de 22 anos se tornou o nico estreante brasileiro na categoria a pontuar em sua primeira corrida.

    Aps GP desastroso, Nasr garante: 'No isso que vai me desanimar'

  • [email protected]